História da Arquidiocese

HISTÓRIA DA ARQUIDIOCESE DE UBERABA

 

A história da Arquidiocese de Uberaba inicia-se, de fato, com a criação de sua primeira paróquia, a Paróquia de Santo Antônio e São Sebastião, hoje, Catedral Metropolitana de Uberaba.

Inicialmente a paróquia de Santo Antônio e São Sebastião, bem como boa parte do Triângulo Mineiro, pertenceu ao bispado de Goiás e, em 1896 com a vinda de Dom Eduardo Duarte Silva para a cidade de Uberaba, ainda como bispo de Goiás, o desejo para a criação de uma Diocese que abrangesse todo o Triângulo Mineiro surgiu. Essa vontade se inseriu em um contexto nacional que favorecia a criação de novas Dioceses, como uma iniciativa clara e objetiva para a reorganização da Igreja no país.

Dom Eduardo, apoiado pelos fiéis de Uberaba e de cidades vizinhas, buscou as articulações necessárias para que a nova Diocese fosse criada, um primeiro passo foi dado a partir da construção de um templo dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, hoje, Paróquia do Santíssimo Sacramento, a Adoração Perpétua. A edificação de uma nova igreja para sediar o bispado, isto é, ser uma Catedral, era uma das prerrogativas exigidas pela Santa Sé e o templo da primeira paróquia de Uberaba não se encaixava nesse perfil.

Com a construção da nova igreja, que viria ser a Catedral, e atendendo as demais exigências da Santa Sé, o Papa Pio X criou a Diocese de Uberaba, em 29 de setembro de 1907, pela bula “Goyaz Adamantina Brasiliana Republica”, no mesmo ato decretou que o Sagrado Coração de Jesus seria o padroeiro da nova Diocese. Meses depois, nomeou o próprio Dom Eduardo como bispo de Uberaba.

Dom Eduardo foi bispo de Uberaba até 1923, sendo que Dom José Tupinambá da Frota foi nomeado o seu sucessor, contudo não tomou posse. Em 1925, Dom Antônio de Almeida Lustosa foi nomeado, permanecendo à frente da Diocese até 1928. Em 1929, Dom Frei Luiz Maria de Santana foi eleito sucessor de Dom Antônio, tornando-se o 4º bispo de Uberaba até em 1938. Dom Alexandre Gonçalves do Amaral foi eleito como o 5º bispo em 1939 e, com o crescimento populacional das cidades vizinhas, além do extenso território geográfico que compunha a Diocese de Uberaba, articulou a criação de um novo bispado. Em 1955, a segunda Diocese da região foi criada pelo Papa Pio XII, a Diocese de Patos de Minas, cujo primeiro bispo foi Dom José André Coimbra (1956 – 1968), tendo recebido como padroeiro Santo Antônio.

No ano de 1961 a Diocese de Uberlândia pelo Papa João XXIII. O primeiro bispo nomeado para administrar a diocese foi Dom Almir Marques Ferreira (1961 – 1977), que havia sido pároco de nossa Catedral Metropolitana. Recebeu como padroeira Santa Teresinha do Menino Jesus.

Em 14 de abril de 1962 o papa João XXIII, através da bula Qui tanquam Petrus, elevou a Diocese de Uberaba à Arquidiocese, criando a Província Eclesiástica de Uberaba, e erigindo a Catedral de Uberaba como Catedral Metropolitana, isto é, sede do Arcebispado e consequentemente da Província Eclesiástica. A composição, inicialmente, da Província foi com a junção das seguintes Dioceses: Uberaba, Paracatu, Patos de Minas e Uberlândia.

Em 1966, a Diocese de Paracatu tornou-se sufragânea da Arquidiocese de Brasília, a pedido do Arcebispo de Brasília. Em 1970, Dom José Pedro de Araújo Costa foi nomeado bispo coadjutor da Arquidiocese de Uberaba e permaneceu à frente da Arquidiocese com Dom Alexandre até 1978, ano em que ambos renunciaram.

Após a renúncia de Dom Alexandre, em razão de sua longevidade, acompanhada pela de Dom José Pedro, quem assumiu a Arquidiocese de Uberaba foi Dom Benedicto de Ulhôa Vieira, nomeado pelo Papa João Paulo II. Durante seu governo, a Diocese de Ituiutaba foi criada, e passou a pertencer a Província de Uberaba. Isto ocorreu em 1982, sendo criada pelo papa João Paulo II e o primeiro bispo nomeado para Ituiutaba foi Dom Aloísio Roque Oppermann que, em 1996, seria nomeado o terceiro Arcebispo de Uberaba. A Diocese de Ituiutaba recebeu como padroeiro São José, titular da Catedral.

Dom Aloísio Roque Oppermann esteve à frente da Arquidiocese de Uberaba até 2012, ano em que o Papa Bento XVI acatou o seu pedido de renúncia, e, meses depois, foi nomeado o novo arcebispo de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto tomou posse, permanecendo até a presente data como o Arcebispo Metropolitano de Uberaba.

 

 

Receba nossas novidades